Início > Notícias Sobre Animais > Animais abandonados – O que fazer perante o abandono de animais
Notícias Sobre Animais

Animais abandonados – O que fazer perante o abandono de animais

animais abandonados

Encontrar animais abandonados tornou-se infelizmente algo tão natural em Portugal que é assustador. Com as associações de animais lotadas, quem encontra animais abandonados e maltratados fica perante uma situação de terror. Por isso faz todo o sentido falar mais uma vez sobre “o que fazer perante o abandono de animais”. Como cidadãos temos o dever de ajudar todos os seres vivos e tentar ajudar a resolver este problema gravíssimo do nosso país. 

Neste artigo iremos abordar vários temas relacionados com o abandono animal, mas principalmente como devemos proceder. Na maioria dos casos podemos fazer muito mais do que pensamos pelos animais abandonados em Portugal, mas como é óbvio não é uma tarefa fácil, exige algum sacrifício.

Assistiu ao abandono de um animal? Saiba como deve proceder.

Embora seja menos comum apanhar alguém a cometer o crime de abandono de animais é fundamental saber como devemos proceder neste caso. Em primeiro lugar devemos tentar manter a calma, sabendo que este é o passo mais complicando perante um crime. Devemos pensar que existem dois objectivos principais, primeiro o bem-estar do animal e depois conseguir angariar provas para apresentar contra o infractor. Neste caso específico devemos:

  • Angariar o máximo de provas e informações no momento do abandono.

Por norma este crime acontece com alguém numa viatura, sendo assim o primeiro passo é conseguir fotografar, filmar ou apontar a matrícula. Se conseguir registar por imagem o criminoso no momento do abandono será a cereja no topo do bolo na hora de apresentar queixa. Tente registar tudo em vídeo, desde o local onde o animal está a ser abandonado, hora do incidente, o animal, testemunhas e a viatura.

  • Tente reunir o máximo de testemunhas.

Nestas situações é muito importante reunir o máximo de testemunhas possíveis daquele abandono. Peça o nome e o contacto de algumas testemunhas. Relembre as pessoas que apenas serão testemunhas, e para resolver aquela situação é necessário todos colaborarem.

  • Recolha o animal da rua.

Um animal que acabou de ser vitima de um abandono merece a nossa consideração. Pense que este deve estar assustado, sem perceber o que acabou de acontecer. Ao deixar o animal na rua é provável que este acabe por ser atropelado, por isso retirar o animal daquele local e levá-lo para um local seguro é o mínimo que podemos fazer. Nestes casos devemos pensar num dia de cada vez, por isso o mais importante é arranjar alguém que possa ficar com o animal por uns dias em sistema de FAT (Família de Acolhimento Temporário).

  • Denuncie sem medo o abandono que assistiu.

Assistir a um abandono é algo extremamente revoltante e emocional, por isso mesmo não podemos fechar os olhos com medo de represálias que provavelmente nunca irão acontecer. Lembre-se que ao denunciar um abandono será apenas testemunha no processo que será aberto.

  • Contacte as autoridades competentes

Embora Portugal ainda esteja muito atrasado na hora de resolver problemas relacionados com animais, existem autoridades competentes para lidar com o abandono de animais. Não hesite em contactá-las, explicar o sucedido e pedir conselhos sobre todo o procedimento. As entidades que devem ser contactadas são:

  • SEPNA Linha SOS : 808 200 520
  • Central SEPNA: 213 217 000 – Email: sepna@gnr.pt / dsepna@gnr.pt
  • PSP email: defesanimal@psp.pt
    Contacto PSP: 217 654 242

Comece a contactar todas as pessoas que conhece para saber se existe possibilidade de FAT caso a actual não possa ficar com o animal por mais alguns tempos.

animais abandonados

Animais abandonados ou perdidos na rua

Por ano em Portugal existem dezenas de milhares de animais abandonados, por isso infelizmente é natural que a dada altura da sua vida irá deparar-se com um animal abandonado ou perdido. Nestes casos temos que começar por presumir que o animal possa estar perdido e só depois dos procedimentos básicos é que podemos concluir que este tenha sido abandonado.

Procedimentos ao encontrar um animal abandonado ou perdido

  •  Observe o estado do animal. Veja se este tem coleira, se está limpo, o estado do pêlo, se aparenta maus tratos e como reage com as pessoas. Esta primeira análise ajuda a perceber a probabilidade de aquele animal se ter perdido ou de ter sido abandonado.
  • Tente aproximar-se do animal lentamente e com paciência. Resgatar um animal da rua nem sempre é fácil, mesmo que este seja meigo. Os animais perdidos, abandonados ou maltratados sentem-se inseguros perante estranhos, por isso devemos tentar ler o animal e agir com paciência. Tente chamá-lo com uma voz calma e amigável para este começar a aproximar-se. Se não resultar, tente usar a comida para estabelecer um elo de confiança. Quando conseguir a sua confiança tente ver se este tem alguma identificação na coleira caso a tenha colocada. Se tiver uma trela consigo coloque esta muito lentamente para ele não entrar em modo de fuga. No caso dos gatos é mais complexo o resgate, pois muitas vezes exige uma transportadora para que consigam ser resgatados. O mais importante é conseguir levar o animal para longe da estrada e permanecer no local seguro até conseguir resgatá-lo.
  • Procurar identificação dos proprietários. Se o animal não tiver um chapa de identificação com o contacto dos donos deve levá-lo a uma clínica veterinária onde poderá ser verificado de forma gratuita a leitura do microship. A maioria dos animais mais jovens/adultos têm microship, mas nem sempre este está registado no sistema. Caso não esteja registado em sistema o microship comece a divulgar que encontrou o animal.

Encontrou um animal: Onde e como deve divulgar um animal perdido

  • Peça ao veterinário o número do microship mesmo que não esteja registado. Esta informação pode estar na posse dos donos, mesmo que estes nunca tenham efectuado o registo do microship.
  • Tire várias fotografias ao animal de vários ângulos. Se o animal tiver alguma característica mais específica como uma mancha no pêlo, cicatriz, mancha na lingua, etc. tente que essa apareça nas fotografias. Existem animais muito semelhantes, toda a informação é relevante nestes casos.
  • Coloque vários anúncios com a informação que encontrou aquele animal. Em Portugal o portal encontra-me.org é actualmente o mais usado nestes casos, faça primeiro uma pesquisa para ver se alguém está à procura do animal encontrado. Caso não exista nenhum anúncio crie um e coloque o máximo de informações possíveis sobre o animal e a zona onde o encontrou. O problema é que nem todas as pessoas acedem ao mesmo site, principalmente a população mais idosa. Por isso contacte a Câmara Municipal para dar a indicação que encontrou um animal, ligue para os canis para saber se alguém procurou um animal com aquelas características, imprima anúncios e coloque nas clínicas veterinárias da zona e espalhe cartazes pela zona onde o resgatou. Use as redes sociais, hoje em dia são uma excelente forma de divulgação. Partilhe a publicação no máximo de grupos possíveis e peça aos amigos que partilhem com os seus contactos.
animais abandonados
by: Petsworld

Ninguém reclamou o animal. O que é que eu faço?

Quem encontra animais abandonados sabe que existe uma forte possibilidade de este não estar perdido e sim abandonado. Infelizmente a maioria das pessoas que resgatam animais da rua já não têm condições para adoptar mais nenhum. Por isso precisam de encontrar uma rápida solução para aquele animal que provavelmente já sofreu bastante. Neste sentido é muito importante que as pessoas percebam que não podem ser sempre os mesmos a ajudar todos os animais abandonados. Caso não tenha condições para ficar em definitivo com o animal, pense que se calhar pode acolhê-lo em sua casa durante algum tempo ou conhece alguém que pode. Fale com os amigos e família, quando todos ajudam as situações ficam mais fáceis de lidar. Se todos ajudarem com 1 euro consegue-se facilmente um saco de ração e uma caminha quente durante algumas semanas.

Animais abandonados – Como encontrar um novo lar para o animal.

Actualmente todos nós vemos diariamente pedidos de adopção de animais, principalmente quando chega o verão. Do outro lado do ecrã pode estar sempre alguém que se apaixone pelo animal que encontrou, quantas mais partilhas nas redes sociais maior é a possibilidade de encontrar um novo lar para o animal encontrado. No entanto na maioria das vezes as partilhas não chegam para encontrar um novo lar, por mais lindo e meigo que seja o patudo. Nestes casos é necessário ser muito pro-activo e disparar em todas as direcções sempre a pensar no bem-estar do animal.

Tente tirar fotografias giras e originais com o patudo que encontrou, quanto mais irresistível ele estiver mais corações ele irá atingir.

Meios de divulgação digitais

  • Redes Sociais
  • Anúncios para doações de animais no olx e custo justo nas categorias certas.
  • Anúncio em sites específicos ex: Adopta-me.org
  • Contacte as associações de animais e sites na internet sobre animais para pedir ajuda na divulgação.

Boca-a-boca

Parecendo que não esta é uma das formas mais eficazes de divulgação. Lembre-se que o não está sempre garantido, por isso não tem nada a perder em tentar. Fale com todos os seus conhecidos e envie-lhes fotos do animal que encontrou. Se ninguém ficar interessado peça-lhes que falem com todos os seus conhecidos. Na sua zona sempre que seja oportuno pergunte às pessoas se conhecem alguém que gostaria de ficar com aquele maravilhoso animal. Existe sempre alguém com um coração gigante que poderá apaixonar-se por um animal abandonado. Não tenha medo de insistir e parecer inconveniente.

animais abandonados

 

Porque não devemos simplesmente ir a uma associação de animais ou canil municipal?

Provavelmente irá passar-lhe pela cabeça entregar o patudo a uma associação de animais ou ao canil da zona. Podemos garantir-lhe que actualmente essa não é a escolha indicada. As associação de animais estão completamente lotadas, e não é por má vontade que elas irão recusar o animal que encontrou. Simplesmente as associações neste momento têm centenas de animais para adopção e poucos adoptantes para os mesmos. Ao não conseguirem arranjar novas famílias para aqueles que se encontram nas suas instalações não podem aceitar mais animais. Por isso é que a frase não compre, adopte é tão utilizada nos dias de hoje, não é uma moda ou algo para ficar bem. Se as pessoas começarem a adoptar nas associações e nos canis os seus animais, certamente existirá a possibilidade de no futuro voltar a acolher aqueles que são encontrados pelos cidadãos.

Quantos aos canis estão completamente lotados e muitos deles sem o mínimo de condições dignas para receberem outros animais. Embora a lei contra o abate nos canis ter sido aprovada, actualmente continuam a ser abatidos milhares de animais em Portugal. Acreditamos que este não seja o fim que deseja para o animal que resgatou da rua.

Como saber se vai entregar o animal a uma pessoa responsável?

A última coisa que alguém que resgata animais abandonados e maltratados quer é arranjar outro dono irresponsável. Claro que o ser humano é completamente imprevisível, pois pode aparentar alguém que adora animais e acabar a maltratá-los. Existem alguns procedimentos que o podem deixar mais seguro antes de entregar o animal a um desconhecido:

  • Verificar se a pessoa consta na lista de maus adoptantes em Portugal.
  • Perguntar se a pessoa tem mais animais, se já teve, que condições tem para acolher o animal. Pode sempre tentar acompanhar o caso, explicar que está muito afeiçoado ao animal e se o pode voltar a ver. Consoante as respostas da pessoa irá conseguir identificar minimamente o seu perfil.
  • Confie na sua intuição, por norma nós sentimos se aquela é ou não a pessoa certa.
  • Pedir para efectuar logo o registo do microship do animal e ver como a pessoa reage.
  • Pode pedir que a pessoa assine um documento de adopção do animal. A nova lei defende que as doações devem ser feitas com um contrato, para que quem adopte fique identificado. Tente sempre que o animal já tenha microship para que este possa ser identificado e associado àquela pessoa.

O mais importante é sentir que está a entregar o animal que resgatou a alguém que realmente gosta dele e não tem qualquer tipo de problema em assumir todas as responsabilidades que são necessárias.

animais abandonados

O que pode ser feito para diminuir o abandono em Portugal?

Como será possível diminuir o número de animais abandonados em Portugal? Esta é uma pergunta que devia preocupar o nosso governo e todos os cidadãos. Aos poucos vão sendo criadas leis que irão ajudar a diminuir os números no nosso país, mas ainda há um longo caminho que temos que percorrer. Este caminho passa por pequenos e simples gestos como:

Sensibilizar desde muito cedo as crianças para os direitos dos animais.

Se começarmos a sensibilizar as crianças que os animais não são coisas, têm os seus direitos e merecem ser tratados com amor e dignidade estaremos a criar adultos que sabem como os animais devem ser tratados.

Sensibilizar a população mais velha da importância e das vantagens de ter um animal de estimação na velhice. Está comprovado cientificamente que ter animais de estimação melhora a qualidade de vida dos idosos. Se os animais seniores forem adoptados por idosos capazes mentalmente e fisicamente, as associações e os canis deixariam de estar tão lotados. Os animais idosos e deficientes são por norma os últimos a serem adoptados.

Desmistificar e baixar o valor da castração de animais.

É preciso continuar a desmistificar a ideia que a população tem em relação à castração. Está provado cientificamente que a probabilidade de um animal vir a sofrer de tumores aumenta significativamente a cada ano que passa sem ser castrado. Quanto ao valores da castração também deveriam baixar, com a comparticipação do estado, para todos poderem ter condições financeiras para este procedimento tão importante. Também é necessário de Norte a Sul de Portugal criar campanhas para castrar os animais de rua, de forma a diminuir significativamente o número de ninhadas no nosso país.

Continuar a apostar nas leis que obrigam a identificação electrónica:

Embora as leis tenham sido aprovadas é necessário fiscalizar as mesmas e criar multas mais elevadas para o incumprimento da identificação electrónica. Todos os animais têm que estar registados no nome do proprietário, esta medida irá prevenir muitos abandonos futuramente.

Aumentar a penalização para quem comete o crime de abandonar um animal.

Embora a lei tenha sido aprovada e exista penalização para quem abandone ou maltrate um animal, os abandonos registados este ano continuam a não deixar dúvidas que é necessário punir de forma mais severa os infractores, seja através de multas muito elevadas ou pena de prisão por um período mais elevado.

Incentivar fortemente a adopção de animais:

Quando a maioria da população começar a adquirir todos os seus animais nas associações e canis, onde são assinados termos de responsabilidade, provavelmente estaremos no caminho certo para diminuir drasticamente o número de animais abandonados em Portugal. Existem animais para todos nestes locais, desde bebés, jovens, adultos, seniores, pequenos e grandes, machos e fêmeas, com muito e pouco pêlo… É preciso é ir vê-los, senti-los, criar laços, certamente encontrará o seu companheiro de quatro patas numa associação ou canil.

Sensibilizar as pessoas que os animais não são coisas e dependem dos humanos.

Um animal não pode ser descartado porque simplesmente larga pêlo, teve um filho, vai mudar de casa, alguém descobriu que é alérgico ao animal, vai para o estrangeiro, entre mil e uma desculpas que todos nós conhecemos. Adoptar um animal é para sempre e para tudo existe uma solução basta querer. Pense muito bem antes de adoptar um animal em todas as responsabilidades que este irá trazer para a sua vida e família.

Se gostou do nosso artigo sobre animais abandonados, partilhe com os seus contactos para ajudar a sensibilizar os portugueses para esta situação extremamente preocupante do nosso país.

Veja aqui mais notícias sobre animais.

Faz Parte da Nossa Comunidade 🙂
0

Sobre o Autor

ODonoCuida

Deixe-nos um Comentário

Clique aqui para deixar um comentário