Início > Saúde Animal > Saúde Do Gato > O Seu Gato Tem Asma Felina? Sintomas e o Que Fazer
Saúde Do Gato

O Seu Gato Tem Asma Felina? Sintomas e o Que Fazer

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

asma felina

Penso que concordarão connosco:

Ser um dono que cuida é também ser alguém que está SEMPRE preocupado com o bem-estar dos seus animais, certo? Mas assim como nós, também os nossos animais têm problemas de saúde que nos preocupam.

Este artigo aprofunda uma dos problemas de saúde mais comuns dos gatos:

A asma felina, também conhecida como bronquite alérgica felina é uma doença alérgica e obstrutiva que decorre da inflamação crónica das vias aéreas, e afecta de 1% a 5% dos gatos.

É a patologia respiratória mais frequente nos felinos, e os gatos entre os 2 e os 8 anos parecem ser os mais afectados. De todas as raças julga-se que os gatos siameses têm uma maior predisposição para contrair a doença.

Quais são as causas da asma felina?

Apesar de ainda existirem debates sobre a definição desta doença, parece existir um consenso geral de que é causada por reacções alérgicas à inalação de agentes irritantes como:

  • Fumo do cigarro ou lareira
  • Sprays aerossóis
  • Perfumes
  • Detergentes
  • Pó e Pólen
  • Outros…

Quando um gato susceptível inala estes agentes irritantes o seu organismo cria anticorpos específicos para que combatam esses antigénios. Quando o gato volta a ser exposto aos mesmos agentes, os anticorpos reconhecem-nos e desencadeiam uma série de processos que levam as células imunológicas para as vias respiratórias.

Estas células imunológicas accionam a produção de substâncias que criam uma acumulação de células inflamatórias nas paredes das vias respiratórias. Como resultado ocorre uma, maior produção de muco, inchaço, irritação  e constrição das vias aérias.

Desta forma podemos considerar que existem factores de risco a considerar, nomeadamente a exposição aos agentes irritantes referidos acima.

Contudo, Dr. Richard Goldstein, médico interno do Cornell University Hospital For Animals e um dos nomes mais associados à investigação da asma felina, diz que nem sempre existe inflamação nesta doença, e isso é o que a distingue da bronquite, onde ocorre sempre inflamação das vias respiratórias.

Das várias doenças existentes, esta como outras, é algo misteriosa. Nem sempre existe inflamação, parece afectar tanto machos como fêmeas, novos ou adultos. Assim, vários investigadores procuram identificar factores hereditários que possam tornar um gato – ou raça – mais vulnerável.

Some people think, for example,
that the condition may be more
common in Siamese cats, but this
has not been shown in large studies.

Traduzindo as palavras de Dr. Goldstein – “Algumas pessoas pensam, por exemplo, que esta condição pode ser mais comum nos gatos siameses, mas ainda não foi comprovado em investigações maiores.”

Como saber se o seu gato tem asma?

Se desconfia que o seu gato sofre desta doença o que deve fazer de imediato é levá-lo ao veterinário. Ainda assim deve estar atento(a) aos sintomas do seu felino para ter uma maior certeza.

Sintomas da bronquite alérgica felina

  • Tosse seca e intermitente (um sinal importante porque há poucas causas para um gato tossir)
  • Dificuldades em respirar \ Respirar de boca aberta
  • Respiração ruidosa e acelerada
  • Vómitos ou reflexos de vómito
  • Hipersensibilidade na traqueia

O video abaixo mostra os sintomas de um gato asmático

Estes sintomas podem variar de intensidade, desde crises respiratórias agudas a crónicas. Eles podem também ser espontâneos ou provocados através de um leve toque na traqueia.

Durante um ataque de asma é comum ver o gato junto
ao chão de costas gato com asmaarqueadas e pescoço esticado para respirar melhor.

Sintetizando, os sintomas mais comuns de asma em gatos incluem uma respiração acelerada e difícil, um “chiar”, tosse persistente e letargia.  Existem outros que podem, ou não, ser mais constantes e dependem da gravidade da doença e da resposta do felino à reacção alérgica.

Baseado nas classificações do especialista Dr. Goldstein, identificam-se 4 Graus de Desconforto

Suave: Os sintomas ocorrem intermitentemente, mas não diariamente e não interferem com a vida diária do gato.

Moderado: Os sinais não ocorrem diariamente, mas quando aparecem são mais severos e interferem com as actividades diárias do animal.

Severo: Os sintomas ocorrem diariamente e são severos e debilitantes .

Agudo: A constrição bronquial resulta em graves dificuldades em respirar (dispneia), potencialmente fatais. Ocorre também hipoxia, ou seja, privação de oxigénio, o que torna normalmente o tecido “rosa” (como nos lábios e no nariz) em tons azulados.

Se estes sintomas forem ignorados a asma pode progredir para um grau agudo e colocar a vida do seu gato em risco. Por isso, quanto mais cedo consultar o veterinário melhor.

O que fazer?

A asma nos gatos não é uma doença contagiosa, é uma reacção alérgica. Por isso o ideal é identificar e retirar o alergénio do ambiente em que vive o seu animal.

Mas pode ser como encontrar uma agulha num palheiro não é?

Nesse caso terá de recorrer a tratamentos. Os tratamentos necessários dependem da gravidade e do estado de cada caso. O mais comum é que envolvam a administração de medicamentos corticoesteróides de forma a diminuir a inflamação bronquial,  e broncodilatadores para abrir as vias aéreas.

Na maioria dos casos os medicamentos podem ser administrados em casa, em comprimidos, injectáveis ou – a forma ideal – através de inaladores.

O video abaixo mostra como utilizar o inalador

Em casos agudos o gato asmático deverá ser internado com urgência para que possa receber o tratamento adequado.

Deverá contar com tratamentos para o resto da vida do seu gato, contudo, se monitorizados cuidadosamente, a maioria dos gatos consegue ter uma vida perfeitamente normal.

Tratamento homeopático e holístico para gatos com asma

Em 2012, a médica veterinária Ingrid King escreveu um artigo onde sugere uma abordagem natural como tratamento para este problema.

A Drª King afirma que os corticoesteróides utilizados nos tratamentos convencionais causam efeitos secundários como um aumento da sede e da necessidade de urinar, aumento de apetite e de peso e outros mais graves como a diabetes e a redução da resistência a infecções.

Segundo Ingrid King, os tratamentos naturais podem ser mais caros inicialmente, mas a longo prazo compensarão, porque ainda que os medicamentos convencionais sejam baratos – e para toda a vida – a possibilidade de no futuro o gato desenvolver diabetes vai criar despesas extras.

As terapias holísticas vão ajudar a suavizar os sintomas , mas o seu sucesso depende da gravidade de cada situação. Consulte sempre o seu médico veterinário antes de iniciar a terapia, mas tenha em conta que nem todos estão familiarizados com este tipo de abordagem.

Abordagem holística:

  1. Reduzir o stress: De acordo com o artigo de Drª King, existem estudos que sugerem que o stress é um dos reactores da asma nos humanos. Por isso não há razão para acreditar em gatos seja diferente.
  2. Reduzir agentes ambientais: A asma pode ser agravada por irritações respiratórias causadas por fumo, poléns entre outras coisas que vimos anteriormente. Utilizar produtos de limpeza naturais e sem odor pode ser um começo.
  3. Não fumar: Pelo menos perto do seu gato.
  4. AcupuncturaAjuda a reforçar o sistema imunitário e os pulmões. Saiba mais no nosso artigo sobre esta terapia.
  5. Suplementos: Que reforcem o sistema imunitário.
  6. ReikiPode ajudar a reduzir o stress e melhorar o sistema imunitário.
  7. Essências florais: Algumas podem ajudar de um modo suave o seu gato a lidar com as crises asmáticas. Procure essências que sejam recomendadas para infecções respiratórias, bronquite e asma. O seu propósito é reforçar o sistema imunitário, reduzir o stress e permitir a cura.

Observação: Apesar de acreditarmos nos benefícios das terapias holísticas, sugerimos que procure SEMPRE o aconselhamento veterinário. Ainda que existia informação de qualidade na internet, estas terapias abordam individualmente cada caso clínico.

Se o seu veterinário não estiver confortável ou familiarizado com as terapias naturais, pode procurar veterinários especializados na área.

asma em gatos

Histórias de Sucesso

Debbie De Louise escreveu no Catster sobre a sua experiência com gatos asmáticos. Depois de casar adoptou Floppy que desde muito novinho mostrou sinais de asma. No início pensou que tossia bolas de pêlo sem que estas se materializassematenção que muitas vezes estes sinais podem ser confundidos – e recorreu aos tratamentos tradicionais com corticoesteróides.

Os ataques asmáticos de Floppy passaram mas aos 8 anos tornou-se diabético. Como consequência veio a sofrer de pancreatite e foi hospitalizado. Anos mais tarde, voltou a ser hospitalizado por problemas no fígado, também associado à diabetes. Aos 15 anos os problemas de fígado voltaram a aparecer e acabou por falecer.

Em 2013 Debbie ficou a cuidar do gato da mãe, um siamês com 13 anos que também começou a mostrar sintomas asmáticos. De novo os veterinários sugeriram corticoesteteróides, mas De Louise não quis voltar a passar pelo mesmo que passara com Floppy.

Procurou recorrer aos tratamentos naturais. Colocou um purificador de ar no quarto e comprou sprays que reduzissem propriedades alergénias.

Na sua procura por soluções naturais para este problema de saúde felino Debbie De Louise entrevistou a Drª Erin Holder, veterinária holística no Hospital Veterinário FloridaWild.

Holder explicou-lhe que as alergias nos gatos estão relacionadas com a sua dieta, que normalmente incluem químicos e conservantes. Citando o artigo,  Drª Erin Holder afirma:

Allergies are a chronic immune stimulation and inflammation of the body, so when we discuss holistic options for our cats, the first thing we do is address the diet. We must do everything possible to get cats who have allergies off dry foods.

“As alergias são uma estimulação e inflamação imune crónica do corpo, por isso quando discutimos opções holísticas para os nossos gatos, a primeira coisa que abordamos é a dieta. Devemos fazer o possível para manter gatos com alergias longe de comidas seca.”

Nesse mesmo artigo, a veterinária Erin Holder diz que outros tratamentos holísticos incluem leite de cabra pelas suas propriedades anti-inflamatórias, óleos essenciais, acupunctura e ervas chinesas.

Recomenda ainda imunoterapia e testes alérgicos e acrescenta que ao contrário dos tratamentos tradicionais, os naturais “são direccionados a curar o pet ou chegar à causa da doença, em vez de suprimir os síntomas”.

asma felina holístico

Outro Caso

Este artigo no IVC (Integrative Veterinary Care) fala da recuperação de Isis, uma gata de bengala com 7 anos que, ao não responder aos tratamentos convencionais foi internada para receber oxigénio, causado por um ataque de asma grave.

Tinha lábios azuis e inchados e tomava 3-4 medicamentos com hospitalizações ocasionais durante 2 anos, mas continuou a ter uma respiração asmática.

Devido aos efeitos secundários o dono parou os tratamentos tradicionais e quis experimentar uma abordagem holística. O artigo da IVC refere que durante um mês foi administrada cuidadosamente a planta Thuja Occidentalis (Tuia Vulgar) enquanto fazia o desmame dos medicamentos.

Isis recuperou completamente da asma e melhorou a tosse que tinha desde gatinha. Fazia tratamentos regulares de 6 em 6 meses para uma cura permanente da tosse que tinha desde as seis semanas de idade.

ObservaçãoO Dono Cuida não subscreve, desmente ou confirma as duas histórias aqui relatadas. Foram resultado de pesquisas feitas sobre abordagens e terapias naturais e homeopáticas para lidar com este problema de saúde.

Reforçamos que deve consultar SEMPRE um veterinário especializado se pretende seguir tratamentos holísticos.

Leia outros artigos sobre a saúde do seu felino aqui.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
Faz Parte da Nossa Comunidade 🙂
0

Sobre o Autor

Profile photo of ODonoCuida

ODonoCuida

Deixe-nos um Comentário

Clique aqui para deixar um comentário

Or

Saltar para a barra de ferramentas