Início > Comportamento Animal > Comportamento Canino > Cão Com Medo De Foguetes – Proteja-o Na Passagem de Ano
Comportamento Canino

Cão Com Medo De Foguetes – Proteja-o Na Passagem de Ano

cão-medo-fogos-artificio

Imagine o seguinte:

Combinou a sua passagem de ano com antecedência e vai ser a melhor noite de sempre. Veste-se a rigor, olha duas vezes para o espelho para confirmar que está no seu melhor, dá uma festa no seu cão e sai para se divertir. No final a noite foi perfeita, conseguiu descontrair, beber e divertir-se com os amigos.

Chega a casa de rastos, só quer os mimos de boas vindas do seu patudo e ir para a cama. Mas quando abre a porta o seu cão não está lá.

Pode ser um dos nossos maiores pesadelos, mas sabia que isto acontece mais vezes do que devia?

A passagem de ano, que é uma data celebrada em grande pelo mundo inteiro, é também uma data em que mais animais fogem e se perdem. Um cão com medo de fogos de artifício pode entrar em pânico e procurar todas as formas de fugir. E o pior quando foge em pânico pode perder por completo o sentido de orientação.

Este tipo de barulhos muito altos accionam-lhes o sistema nervoso e deixam-nos extremamente ansiosos ou em pânico. Mas não da mesma forma que as trovoadas. Os foguetes são muito mais próximos do solo, muito mais vibrantes, repentinos, e acompanhados por flashes e cheiro a queimado.

Para eles, fugir desse barulho acaba por ser um instinto de sobrevivência. Apesar de ser um medo comum entre os animais, existem alguns cães – como os de caça, habituados ao som das espingardas – que podem já estar dessensibilizados para esses barulhos.

Diferentes cães reagem de maneira diferente

Ou seu cão pode ficar muito irrequieto, sempre a andar de um lado para o outro, ou tentar subir para o seu colo. Outros podem ladrar ou simplesmente deitarem-se até que toda a confusão acabe. Existem ainda aqueles que ainda apresentam reacções físicas e químicas como excesso de saliva ou tremores.

Esconderem-se ou tentarem fugir é um comportamento comum em situações destas, e por isso deixamos algumas dicas para ajudar a mantê-lo mais calmo e facilitar tanto a sua como a noite do seu patudo.

Preparação

Por mais óbvio que possa parecer, é importante que o dono e/ou a dona estejam calmos. Muitas pessoas acreditam que os foguetes deviam ser banidos – e têm argumentos fortes para isso – mas nesse momento não vai ajudar nada. Evite situações de stress para que possa ter toda a energia para acalmar o seu cão.

1 – Planeie a passagem de ano do seu cão

  • Faça de tudo para que ele não fique sozinho, pelo menos durante os fogos de artifício.
  • Mantenha-o em casa, com portas, janelas e cortinas fechadas para tentar eliminar os estímulos visuais.
  • Arranje-lhe um “sítio seguro”, onde ele se possa sentir mais protegido. Quando estão assustados eles têm tendência e procurar esse lugar seguro, e é normalmente um espaço pequeno e apertado.
  • Garanta que ele tem coleira e chapa de identificação. O melhor é sempre prevenir para o caso do pior acontecer, porque eles em pânico são capazes do impensável.
  • Dê-lhe um grande dia de exercício.
  • Deixe-o entretido, por exemplo com o brinquedo Kong recheado com biscoitos ou manteiga de amendoim.

2 – Prepare-o para os fogos de artifício

Ok, então já planeou o dia do seu animal. Fez exercício, tem coleira e o Kong está cheio de doces, mas isso pouco ou nada garante, porque quando rebentar o primeiro foguete a história é outra.

Então de que forma quer abordar a situação? Aqui existem duas situações distintas:

  1. Os donos já sabem como é que o seu animal reage.
  2. É a primeira vez que os donos vão passar por uma situação destas com os animais.

Um aparte para falarmos da nossa experiência:

O Marat e a Bonnie são dois cães pastores, e a maneira de reagirem é irem ladrar para o quintal. Nesse aspecto ficamos tranquilos porque o portão e os muros são altos, mas também nunca tentaram fugir. No entanto nunca passámos por esta experiência com o Cash – que resgatámos há pouco tempo – e por isso não sabemos como vai ser, mas o mais certo é que se vá esconder no seu “sítio seguro”, ou seja, debaixo da cama ou dos móveis da cozinha.

Quando já sabemos a reacção que eles vão ter é mais fácil pensarmos numa forma de acalmá-los, mas mesmo que não saibamos, não quer dizer que não possamos estar preparados.

Dicas para acalmar o cão durante os fogos de artifício

Procure uma abordagem sensorial, que apele aos sentidos do seu animal para o distrair da “ameaça” lá de fora.

  1. Musico-Terapia: Para isso basta ir ao Youtube e pesquisar por algo como “music for dog relaxation” ou “music for dog anxiety”. Bem sabemos que não é a banda sonora normal ou ideal para uma passagem de ano, mas pelo menos durante os fogos e 10 minutos depois de acabarem, só para o ajudar a relaxar. Claro que se fosse possível começar antes dos foguetes melhor, mas seria uma “10, 9, 8, 7, 6….” estranho.
  2. Táctil: Existem roupas como as “camisolas para trovoada” próprias para ansiedade provocada pelo sons altos. Ao que pudemos perceber actua através de acupressão, uma pressão gentil e constante que ajuda a reduzir o stress do animal. Nunca experimentámos nenhuma, mas não custa tentar.
  3. Olfacto: Pode tentar distraí-los com doces que eles gostem muito, ou então com feromonas anti-stress.
  4. Medicação: Este é um método que não aconselhamos, mas pode tentar informar-se junto do veterinário se existe alguma forma segura para o acalmar através de medicação.

Quanto ao ponto 2 da acupressão, existe também uma forma artesanal conhecida como “o truque do pano” e ilustrado na imagem abaixo.

truque-do-pano-cão

Comunicação

Este é um ponto também muito importante. Lembre-se que o seu cão deve olhar para si como um exemplo, e um porto seguro que lhe comunica o que deve fazer quando ele se sente perdido, com medo ou confuso.

Mantenha a calma, junto dele e mostre-lhe que não tem nada com que se preocupar. E a melhor forma para o fazer é continuando a agir o mais normalmente possível. Não lhe dê festas nem mimos enquanto ele estiver nesse estado para não passar a mensagem errada.

Os cães comunicam com a postura corporal, o olhar e a energia. Mantenha-se relaxado(a) e calmo(a). Mostre-lhe que não tem nada com que se preocupar.

Veja mais artigos sobre comportamento dos canino

Faz Parte da Nossa Comunidade 🙂
0

Sobre o Autor

ODonoCuida

Deixe-nos um Comentário

Clique aqui para deixar um comentário