Início > Comportamento Animal > Como Treinar o Cão > Como cuidar de um cão maltratado
Como Treinar o Cão

Como cuidar de um cão maltratado

cão-maltratado

Resgatar ou adoptar um cão maltratado é sem dúvida um gesto de extrema generosidade porque requer muita dedicação, treino e paciência. Todavia poder contribuir para a mudança de um animal que já sofreu bastante é extremamente gratificante.

Existem diversas etapas que terá que passar se adoptar um cão que está traumatizado. Seja através de uma associação ou directamente da rua, cuidar de um cão maltratado não é uma tarefa simples. Por isso deixamos aqui algumas dicas e conselhos de como cuidar de um cão maltrato.

Acabou de resgatar um cão na rua. Como identificar rapidamente se este é um cão maltratado?

  • 1º Lugar: Veja e analise se o animal tem alguns sinais físicos de agressão.

    Os sinais de maus tratos mais fáceis de identificar são ferimentos, cicatrizes, queimaduras ou outro tipo de lesões. Verifique a zona do focinho, o pescoço, pernas, patas. Cães que estiverem presos por uma corrente durante um longo período, costumam apresentar feridas no pescoço ou ausência de pelo nessa zona.

  • 2º Lugar: Tente perceber se o cão está desnutrido ou desidratado.

    Uma das formas mais comuns de maus tratos aos animais é os proprietários deixarem de alimentar de forma regular os seus animais e não proporcionarem água limpa aos mesmos. É fácil perceber se um cão não está bem nutrido, pois uma escassa alimentação expõe as costelas do animal, notando-se ainda melhor a magreza do cão. Outros sinais típicos de desnutrição são alguns dentes podres ou danificados, cansaço excessivo e olhos sem brilho. Quanto à desidratação pode ser analisada através da pele logo a seguir ao pescoço. Puxe-a sem pressionar e depois solte-a. Se esta voltar rapidamente ao lugar o animal está hidratado, caso esta regresse lentamente existe uma elevada probabilidade do cão estar desidratado. Outra forma de analisar é através das gengivas. Quando as gengivas de um cão estão molhadas ou húmidas é sinal que o cão está hidratado, em caso de secura o cão pode estar desidratado.

  • 3º Lugar: Analise o comportamento do cão para perceber se este foi vítima de maus tratos.

    Um cão que sofreu maus tratos normalmente é um cão medroso, que pode tornar-se agressivo em situações extremas de medo ou quando se sente encurralado. Para perceber que tipo de traumas tem um cão deve analisar o seu comportamento. Se o cão que resgatou evita os humanos, isola-se num canto da casa (local que se sente mais seguro), quando não se sente confortável urina em pequenas quantidades, foge quando vê alguns objetos (vassoura, sapatos, chinelos, etc.), provavelmente o animal foi vítima de violência física e psicológica. Normalmente nestes casos o cão vai evitá-lo ao máximo, pode rosnar quando se chega perto ou até ladrar. Tudo isto é um comportamento natural de um cão que não confia nos seres humanos.

  • 4º Lugar: Se verificou todos estes sinais no seu animal e acredita que ele foi mal tratado deve levá-lo a um veterinário.
    Ao resgatar um cão da rua nunca se esqueça que este pode ter micro-chip e os dados do antigo dono. Se você e o veterinário acreditam que aquele animal foi vítima de maus tratos pelos donos deve apresentar uma queixa formal às autoridades. Se o animal não estiver registado, este deve fazer um check-up para ver como está a sua saúde, física e mental. Caso pretenda adoptar o cão que resgatou pense bem no assunto, pois este animal já foi maltratado e está traumatizado, a última coisa que ele necessita é passar por tudo novamente ou ser abandonado. Se estiver determinado em dar uma vida melhor a este animal alertamos que o caminho será lento, a educação não será fácil e irá precisar de muita paciência e compreensão.
Adoptar um cão de um canil ou associação:

É fácil apaixonarmo-nos rapidamente por um animal quando vamos a um canil ou associação. Aquela realidade vai nos sensibilizar para a adopção mas esta não deve ser um ato compulsivo. Por melhor que seja a relação criada entre si e um animal num canil, deve tentar saber o máximo de informações sobre o cão que vai fazer parte da sua família.

Tente saber todos os pormenores sobre o animal. Se este foi mal tratado por humanos, que tipo de traumas ele tem, ao que reage bem e mal, se é dominante ou submisso, como é que reage ao medo, etc. Todos estes pormenores no comportamento do animal devem ser bem assimilados pelo futuro dono. Pense bem em tudo para não se arrepender mais tarde. Lembre-se quando assumimos uma responsabilidade deste tamanho é para o resto da vida.

cão maltratado

Como cuidar de um cão maltratado?

Quando levamos para casa um cão vítima de maus tratos temos que perceber que devemos ter certos cuidados com este animal, principalmente se queremos que a sua adaptação decorra da melhor forma possível.

  • 1º Lugar: Mentalize-se que provavelmente irá encontrar diversos comportamentos difíceis naquele animal e a maioria destes são reações aos seus medos e traumas.

    O cão não se comporta propositadamente assim, o seu comportamento é influenciado constantemente por reações a pequenos gestos, sons, objetos que ele tem pavor.

  • 2º Lugar: A chave do sucesso para cuidar de um cão traumatizado é paciência.

    Esta é a única forma desta relação ser bem-sucedida. Normalmente um cão que sofreu maus tratos desconfia de tudo e todos. Por isso a relação de confiança entre o dono e o cão deve surgir naturalmente e não ser forçada. O melhor desta relação é a superação do receio e a ligação entre os dois evoluir a cada dia que passa.

  • 3º Lugar: Deixe que seja o cão a procura-lo.

    Quando temos um cão é natural que o queiramos encher de mimos e ter a sua atenção. O problema é que o seu animal pode ter vários receios e traumas com pessoas. Por isso a melhor opção nos primeiros dias é deixar que o seu cão o procure naturalmente. Quando tiver que dirigir-se até ele faça-o de uma forma lenta e descontraída e analise a sua reação. Normalmente com este tipo de abordagem ele acaba por sentir segurança e torna-se mais confiante com o passar dos dias.

  • 4º Lugar: Use um tom de voz calmo e suave.

    Um cão que sofreu maus tratos habitualmente lida mal com um tom de voz agressivo ou elevado. Por isso se quer que o seu cão se sinta confiante e confortável na sua presença é essencial o uso de um tom de voz calmo e suave. Se tiver que o repreender para consegui-lo educar, o que também é normal e positivo, use um tom de voz assertivo mas nunca elevado. Os gritos só irão prejudicar o seu cão. Ele irá relacionar os mesmos a uma situação de perigo que pode resultar numa reação agressiva. Quando ele fizer aquilo que pretende recompense sempre com um “doce”. Analise o comportamento conforme as situações vão surgindo e procure o máximo de informação que puder para educa-lo da melhor forma. A educação nos primeiros tempos deve ser lenta e progressiva.

  • 5º Lugar: Deve proporcionar proteção ao seu cão em casa.

    Procure no seu lar um local calmo, onde não passem pessoas e animais. E nesse sítio que deve colocar uma mantinha quente, o prato de comida e a tigela com água limpa. Certamente que ele irá ver esse local como uma zona segura, e acabará por se sentir confiante e tranquilo em sua casa.

cão maltratado

  • 6º Lugar: Os passeios diários são muito importantes para um cão maltratado.

    Passear com o seu cão é a forma mais natural de criarem um elo de ligação. Para além disso o exercício físico ao ar livre acalma e melhora a confiança de um cão. Inicialmente os passeios devem ser realizados sempre pelo mesmo trajeto e por locais mais tranquilos. Tente evitar locais com pessoas e animais nos primeiros dias, pois ele pode sentir-se muito nervoso perante aqueles seres vivos. Outro aspeto importante no início é não soltar o seu cão, passeie sempre de trela. Isto porque ele pode facilmente fugir com perante algum ruído mais forte, o aparecimento de pessoas ou animais. É importante perceber que cada coisa tem o seu tempo. À medida que o tempo for passando experimente soltá-lo num local fechado o onde ele não consiga fugir. Atire uma bola ou um pequeno pau para brincar com ele e veja a sua reação. Sempre que ele voltar com a bola/pau recompense com um “doce”. Lembre-se que em ruas o seu cão deve andar sempre de trela.

  • 7º Lugar: Esteja constantemente atento ao comportamento do seu cão.

    Os cães mal tratados por vezes tornam-se possessivos com brinquedos e principalmente com ossos de roer. Não permita esse tipo de comportamento no seu animal. No início experimente dar-lhe um brinquedo e ver como ele reage ao mesmo. Se ele se deitar a esconder o brinquedo ou proteger o brinquedo posicionando a cabeça em cima do mesmo o seu cão está a ser possessivo. De uma forma assertiva tente calmamente tirar-lhe o brinquedo e veja a sua reação. Se este não rosnar nem mostrar os dentes será mais fácil, de forma progressiva, ensiná-lo a brincar com objetos. Se este rosnar ou ficar agressivo irá perceber que ele ainda não está preparado para ter os seus próprios brinquedos. Mais tarde poderá treiná-lo com calma quando ele se sentir mais à vontade na sua casa.

  • 8º Lugar: Evite expor o seu cão ao medo que ele tem de alguns objetos em sua casa.

    A maioria dos cães traumatizados têm medo de sapatos ou chinelos, vassouras, sacos do lixo, etc. Se ele fugir para um canto ou para o local onde se sente mais seguro quando vê algum objeto evite expô-lo a esse. À medida que o tempo for passando ele irá conviver melhor com os mesmos, pois a associação negativa a estes será diferente. Aquele objeto naquele espaço não irá representar uma ameaça quando está parado. Lentamente longe do animal mas à vista agarre num sapato e realize a ação com naturalidade. No entanto não leve os mesmos na direção do seu animal.

  • 9º Lugar: Não deixe as visitas aproximarem-se bruscamente do seu animal.

    Quando temos um animal a maioria das pessoas que gosta de animais tem o mau hábito de dirigir-se até ao animal para dar-lhe festas e carinhos. Este comportamento está completamente errado. Não é o ser humano que deve ir ter com o animal e sim ao contrário. Explique isso às suas visitas e acrescente que estas não devem ficar a olhar para o cão ou a chamá-lo. Irá ver com os seus próprios olhos que o animal reage muito melhor às pessoas se não lhe dissermos nada. Se o cão se aproximar calmamente das pessoas, aí deve ser recompensado com festas. Estas deve ser feitas de início por baixo e nunca no cimo da cabeça. Este comportamento não deve ser usado apenas com cães maltratados. Também deve ser efetuado com todos os cães que não temos qualquer ligação próxima.

  • 10º Lugar: Como cada pessoa, cada cão é único.

    Aceite isso irá viver uma excelente relação com o seu novo animal de estimação. O seu cão poderá nunca ser muito dado a pessoas, pode não ser muito brincalhão, pode não gostar muito de mimos, etc. Nós como donos temos que aceitá-los como eles são, como eles nos aceitam a nós. Quanto aos traumas, provavelmente irá conseguir que ele supere alguns. No entanto não é fácil o seu cão superar todos os traumas passados. Por isso perceba quais são os limites do seu animal e respeite-os. Certamente terão uma vida muito feliz se seguir todos estes conselhos.

Faz Parte da Nossa Comunidade 🙂
0

Sobre o Autor

ODonoCuida

Deixe-nos um Comentário

Clique aqui para deixar um comentário