Início > Comportamento Animal > Como Treinar o Cão > Treinar O Seu Cão No Dia a Dia da Forma Mais Fácil
Como Treinar o Cão

Treinar O Seu Cão No Dia a Dia da Forma Mais Fácil

treinar cão

Facto: Muitos donos têm cães mal comportados principalmente porque nunca se dedicaram a uma educação séria do seu animal.

Neste artigo vamos explicar-lhe a forma mais fácil de treinar e educar o seu cão no dia a dia para que possa ter um cão equilibrado e compatível com a sua vida diária.

Existem vários artigos sobre educação canina ou como treiná-los para fazer alguma coisa. Porém temos de perceber que se um cão responder ao comando “Senta” não quer dizer que seja educado.

Quando os donos partem com uma ideia errada sobre a responsabilidade que é ter um cão, e do trabalho que pode dar a educá-lo, este pode tornar-lhes a vida num inferno e consequentemente a relação entre os donos e o animal torna-se tóxica.

São ilusões dessas que fazem com que famílias adoptem um animal e devolvam-no de seguida porque ele roeu um sapato ou fez xixi na carpete. É por ilusões como essas que existe uma alta taxa de abandono e de maus tratos em Portugal.

Ter um cão educado não é do dia para a noite e pode exigir muitas horas de dedicação. No entanto neste artigo vamos explicar como pode conciliar uma educação básica com o seu dia a dia.

Mas explicamos o processo mais à frente.

Vamos primeiro perceber quais são as razões para um cão ser mal educado;

1 – Porque os mimaram demais e nunca impuseram regras e limites:

Há quem deixe que o cão faça praticamente de tudo – inclusive coisas graves –  sem que sejam corrigidos. Podemos dar como exemplos aqueles cães extremamente possessivos com os donos que não permitem que ninguém se chegue perto.

2 – Porque nunca lhes deram uma educação básica de obediência

Há cães calmos e equilibrados por natureza e há outros com níveis de energia superiores que precisam de estímulos. Para que os cães sejam equilibrados é necessário que haja pelo menos uma educação comportamental básica, como por exemplo saber esperar, saber respeitar o espaço, não morder nem ladrar constantemente etc.

3 – Porque têm um cão demasiado excitado e ansioso.

Este é talvez um dos problemas mais comuns. Um cão quando fica extremamente ansioso pode tornar-se descontrolado e esse descontrolo pode reflectir-se em vários comportamentos indesejados.

4 – Porque não satisfazem as necessidades físicas e mentais do animal.

Sabemos que todas as raças de cães têm necessidades físicas e mentais diferentes, que remetem às suas origens. Por exemplo os cães de trabalho ou pastoreio precisam de muito mais actividade física do que algumas raças de cães de companhia. A verdade é que existem muitos donos que ignoram esse facto e nem um passeio à volta do quarteirão dão com os seus cães.

Exemplos claros dessa negligência – que se vê muito em Portugal – são os cães que passam a sua vida acorrentados.

Podemos reparar que estas 4 razões são consequências em cadeia.

O que é que nós queremos dizer com isto:

Não satisfazer as necessidades físicas e mentais do seu animal pode levá-lo a ser um cão excitado e ansioso, que consequentemente poderá reflectir-se numa falta de educação básica e levá-los a não terem regras.

comportamento canino

Antes de avançarmos deixe-nos contar uma história que se passou connosco:

Uma vez estávamos a chegar a casa e reparámos numa senhora desesperada porque o cão – arraçado de pitbull – tinha fugido e andava solto a correr pelo meio da estrada e a mandar-se aos outros cães que estavam na rua. Quando vimos aquilo decidimos parar para ajudar a senhora.

Chamámos o cão, ele veio receber umas festinhas sem problema – meio tresloucado mas amigável – e pegamos-lhe na coleira para o levar até à dona que estava em pânico.

O animal que no início estava a colaborar, quanto mais se aproximava de casa mais lutava para fugir.

Enquanto nós íamos tentando controlá-lo, a dona estava numa enorme camada de nervos e em pânico dizia que o cão era mau e que até já tinha mordido a veterinária. Nós não vimos nenhuma dessa maldade.

Tirando aquelas “dentadas de encosto” quando o agarrávamos, o cão mostrava-se era mais excitado e brincalhão, e pareceu-nos que aqueles 20 minutos em que andámos a correr atrás dele e ele a fugir foram os melhores 20 minutos da sua vida.

No fim conseguimos acorrentá-lo na sua casota – claro – e tanto nós como ele acabámos exaustos, o patudo com a sua língua de fora e sorriso enorme ainda teve a levar umas festinhas e palmadinhas todo satisfeito da vida.

Resumindo, aquele que era visto pelos donos como um cão mau e que tinha mordido na veterinária, aceitou brincar ao gato e ao rato com um perfeito desconhecido, que ainda lhe acabou a dar festas.

O que é que ele precisava?

De sair daquela corrente e poder correr, gastar energia e ser feliz como qualquer cão devia ser.

Nós compreendemos que nem todas as pessoas têm tempo, espaço e dinheiro para se dedicarem a 100% aos seus animais, mas vamos ser sinceros, eles também não nos pedem a perfeição.

Amor, carinho e compreensão é tudo o que eles nos pedem e não precisa de ter todo o tempo do mundo para fazer do seu cão um animal satisfeito e educado.

Sempre que pensamos em treinar um cão, pensamos em exercícios, doces, clickers e claro, tempo.

Mas será que tudo isso é necessário?

Claro que não! A não ser que queiramos um cão tão obediente como os da polícia, não é preciso tanta extravagância. Se tudo aquilo que pretende do seu patudo é um fiel amigo e uma companhia, sem que lhe torne a vida num inferno pode simplesmente treiná-lo nas suas actividades quotidianas.

Como? Pensemos bem:

Os manuais de adestramento canino realçam o reforço positivo como a melhor prática a adoptar.

Pode ler mais sofre reforço positivo aqui, contudo podemos resumi-lo como fazer algo que não se quer para ter uma recompensa que se quer ou gosta muito. O reforço positivo funciona com todos os animais, incluindo os humanos.

Exemplo: Se um adolescente estudar muito e passar de ano os pais deixam-no ir de férias com os amigos.

reforco-positivo

Com os cães é igual, porém os cães não gostam só de doces, gostam de muitas outras coisas. Por exemplo:

  • Comer a refeição
  • Dar um passeio na rua
  • Correr atrás da bola ou brincadeiras de força
  • Encontrar doces
  • Levar festas
  • etc.

Tudo isto são coisas que os cães gostam muito, e que são feitas – ou deviam ser – no dia a dia. Porque não combiná-las com o treino?

Por exemplo, se o seu cão gosta muito de ir passear, treine-o para ficar calmo e saber esperar antes de sair. Ele pode não gostar de esperar, mas se o fizer, terá a recompensa por que tanto esperou, passear, uma coisa que ele gosta muito.

Se o seu cão gosta muito de comer a ração, treine-o para saber esperar, ficar no mesmo sítio e só ir comer quando lhe disser. Ele pode querer muito comer, mas se souber esperar, terá essa recompensa.

Para tirar melhor proveito deste processo faça duas listas

Lista 1: Enumere tudo aquilo que o seu cão gosta muito de fazer no dia a dia. Os exemplos acima poderão dar-lhe uma linha condutora.

Lista 2: Enumere tudo aquilo que gostaria que o seu cão melhorasse. Por exemplo, ser mais calmo ou respeitar o seu espaço.

Entre aquilo que gostaria que ele melhorasse e as coisas que ele gosta de fazer diariamente, tente encontrar formas de tornar essa lista compatível no seu quotidiano. Por exemplo:

Se quer que ele seja mais calmo, quando lhe for dar a ração, faça-o esperar sentado ou deitado, e dê-lhe só quando ele se acalmar. Vai dar-lhe a ração na mesma, porque não aproveitar esse momento para educá-lo?

Se quer que ele saiba respeitar o seu espaço, quando quiser que ele lhe dê espaço – por exemplo se estiver a cozinhar – ensine-o a ficar no mesmo sítio. Se ele o fizer, recompense-o com algo que ele gosta muito, como por exemplo, mimos ou uma brincadeira.

Não tem necessariamente de se desviar muito do seu horário, de doces ou clickers para dar uma educação básica ao seu cão. Coordene essa educação com as suas actividades diárias e as do seu cão.

Porque a maioria de nós não precisa do Rex o cão polícia, mas apenas de um amigo equilibrado e companheiro. Pode ser tão simples quanto isso.

Veja outros artigos sobre comportamento do cães

Faz Parte da Nossa Comunidade 🙂
0

Sobre o Autor

ODonoCuida

Deixe-nos um Comentário

Clique aqui para deixar um comentário